“Tecnologia contribui para aprimorar a governança corporativa”, diz Arie Halpern

Governança corporativa entrou de vez no radar das empresas preocupadas em melhorar ou preservar a sua imagem institucional e a sua reputação, garantindo credibilidade junto aos investidores, especialmente após os casos de corrupção envolvendo empresários e políticos. Uma política de governança sólida ajuda a por ordem na casa, a melhorar o processo de administração. Para Arie Halpern, economista e especialista em tecnologias disruptivas, por meio da inovação é possível tornar mais eficazes os processos internos de transparência, ou mesmo iniciar uma cultura de governança corporativa. “A tecnologia contribui para aprimorar a governança corporativa e o monitoramento das práticas de gestores e colaboradores”, diz Arie Halpern. Veja alguns exemplos de aplicativos utilizados em vários países do mundo, inclusive o Brasil.

Estados Unidos

A transparência nos negócios empresariais é uma preocupação antiga das corporações norte-americanas. Um aplicativo chamado BizzVizz possibilita que qualquer cidadão acesse as informações financeiras de algumas das maiores empresas, desde impostos pagos, dinheiro recebido a título de subsídios do governo e informações envio de contribuições de campanha eleitoral. Para usar o app, basta tirar uma foto do logotipo da empresa impresso em qualquer um dos produtos comercializados. O BizzVizz reconhece a imagem e os usuários podem visualizar as informações financeiras da empresa.

China

Devido a problemas recentes envolvendo corrupção no alto escalão do poder executivo, o governo chinês lançou um aplicativo que permite fazer denúncias de irregularidades e denunciar casos de corrupção. O dispositivo é administrado pela Comissão Central de Inspeção Disciplinar do Partido Comunista. A interface permite aos usuários escolher entre 11 categorias de transgressões, como jantares em restaurantes caros, casamentos e festas de luxo usando verba pública. Os registros podem ser feitos através de fotos das contravenções ou até mensagens de texto indicando o que está ocorrendo. Com o lançamento do app, o número de denúncias de violações de disciplina de membros do partido subiu de 300 para mais de mil por dia.

Brasil

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) promove o encontro ‘Hackfest Contra a Corrupção’, com objetivo de desenvolver dispositivos que ajudem a acabar com o mau uso do dinheiro público. A equipe vencedora da última edição desenvolveu um aplicativo que rastreia casos de superfaturamentos em contratos firmados pelos governos municipal, estadual ou federal. O app permite que qualquer pessoa compare preços de materiais ou insumos comprados pelo Poder Público com os preços praticados no varejo. Dessa forma, fica visível quando há discrepância nos preços, o que ajuda a evidenciar casos de superfaturamento.

No Detran-SP, o uso da tecnologia evitar fraudes na obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Desde 2015, o órgão passou a exigir dos alunos o cadastro biométrico nas aulas teóricas aplicadas em auto escolas. Outra preocupação do Detran-SP era a possibilidade de fraude durante as provas práticas, uma vez que apenas o instrutor poderia reconhecer os erros dos candidatos. Para aumentar a confiabilidade no processo, foram instaladas mini-câmeras nos carros e, em alguns casos, sensores de telemetria capazes de detectar as faltas cometidas pelos candidatos, como excesso de velocidade, falta de cinto de segurança e não utilização das setas. Dessa forma, a nota do candidato era baseada não apenas na opinião do instrutor, mas também no diagnóstico do sistema de telemetria.

Índia

Por meio de subsídio governamental, foi lançado um aplicativo nomeado Whistle Now (ou Apite Agora), que permite aos indianos compartilharem fotos, vídeos e áudios que envolvam corrupção nas empresas. O governo prometeu distribuir, anualmente, um prêmio para os cidadãos que denunciassem os maiores esquemas de corrupção.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *